top of page
Circulação da Balbúrdia - Thiago Matias Sousa de Araújo
Circulação da Balbúrdia - Thiago Matias Sousa de Araújo

qui., 21 de jul.

|

Link enviado aos inscritos

Circulação da Balbúrdia - Thiago Matias Sousa de Araújo

O modelo educativo plurinacional: educação regular e organização curricular

Os ingressos não estão à venda
Ver outros eventos

Horário e local

21 de jul. de 2022, 19:00 – 21:00

Link enviado aos inscritos

Sobre o evento

O trabalho está disponível na Biblioteca da EFoP.

Thiago Matias de Sousa Araújo é graduado em direito, pedagogia e mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É pesquisador nas áreas de Fundamentos da Educação, Marxismo e Educação e América Latina. Atualmente é Pedagogo da Assessoria Acadêmica e do Núcleo Interdisciplinar de Suporte ao Estudante do Centro de Tecnologia da UFRN - NISE/CT. Vincula-se aos grupos de pesquisa História, Sociedade e Educação no Brasil (HISTEDBR/UFSCar) e Grupo de Extensão e Pesquisa em Direito, Marxismo e América Latina (GEDIC/UFERSA).

Çírculação da Balbúrdia

A “Balbúrdia” se tornou um símbolo involuntário das universidades públicas. O estandarte de ouro do ex-Ministro Weintraub para justificar o corte do orçamento dessas instituições, bem como de suas autonomias constitucionais. A propaganda vigorosa de difamação das universidades repercutiu em diversos dos aparelhos de propaganda do Estado, entre os quais os grandes jornais. Logo diversos editoriais clamaram pelo “fim da Balbúrdia”. Imagens das paredes de centros acadêmicos e edifícios abandonados foram banalizadas, notícias falsas e delirantes se proliferaram. O alinhamento é evidente: era preciso desmantelar o prestígio que essas instituições ainda detém diante da sociedade para extinguí-las. Mas que conhecimento é esse que se produz nas universidades e que é capaz de tirar o sono dos heróis da ordem e do progresso nacional? Deveríamos nós nos afastarmos de quaisquer depravações à intelecção da ordem? Deveríamos nos tornar cientistas brancos, de jalecos brancos, diante de quadros brancos? Muitos, dentre os quais entre nós, se agarram a essa imagem maculada da universidade como um espaço límpido de progresso e desenvolvimento. Nós, por outro lado, abraçamos a Balbúrdia.

A EFOP propõe um espaço de formação acadêmica e política para disputar a a universidade: a Circulação da Balbúrdia. Um espaço de debate sobre a produção acadêmica de esquerda das universidades públicas brasileiras. É um espaço para os pesquisadores apresentarem e discutirem suas teses e dissertações e colocá-las em circulação.

Resumo

Este artigo aborda o modelo educativo do Estado Plurinacional da Bolívia, com foco no Subsistema de Educação Regular, seus níveis e currículo, com base nos elementos trazidos pela legislação e documentos oficiais. Após larga história de subalternização e violências, um bloco identificado com a maioria étnica e trabalhadora alçou-se à condição de direção Estatal, conformando novo modelo de Estado e novo arcabouço jurídico-teórico educativo, a partir da lei Avelino Siñani – Elizardo Pérez. Uma década após sua promulgação, se observa um país livre do analfabetismo, com significativa ampliação da cobertura educativa e aproximação concreta do processo pedagógico ao contexto sociocomunitario e produtivo boliviano.

Inscreva-se para receber por e-mail o link de acesso à sala.

Receba notificações sobre as próximas atividades da EFOP:

Telegram

Facebook

Youtube

Instagram

Compartilhe este evento

bottom of page