Divulgação Científica: Bioconstrução

Divulgação Científica realizada no dia 29 de agosto de 2018


Na última quarta-feira (29), a Escola de Formação da Classe Trabalhadora – Vânia Bambirra (EFoP – Vânia Bambirra) e o coletivo jornalístico UFSC à Esquerda (UàE) realizaram um evento coletivo com o intuito de promover a divulgação científica sobre a Bioconstrução, resultado de um Trabalho de Conclusão de Curso da engenheira civil Julia May Vendrami.

A formação foi dividida em dois momentos: o primeiro foi utilizado para situar a discussão no âmbito político, ou seja, que as técnicas que seriam posteriormente discutidas fazem sentido se pensadas juntamente com a superação ao modo de produção capitalista; o segundo, utilizado para pensar algumas técnicas, principalmente as que envolvem a construção com terra.

No primeiro momento, três princípios foram destacados como fundamentais para a discussão. O primeiro tratou de que a forma de construção mais sustentável é pensar na melhor utilização e distribuição nos espaços já construídos, no sentido de que a maior parte das ocupações da cidade não são planejadas da melhor forma. O segundo, é a importância de garantir assistência técnica e gratuita de profissionais que trabalham com a bioconstrução. Já, o terceiro, tratou de mostrar a importância de se realizarem avaliações sistemáticas e densas dos ciclos de vida dos materiais – essa avaliação corresponde a avaliação do impacto do uso de materiais, desde sua retirada do ambiente até o seu descarte.

Esse último foi elencado pensando principalmente nos impactos do uso majoritário do cimento nas construções civis, material que é o 2º mais utilizado para construções no mundo e o qual é responsável pelo gasto de 110 kWh da energia elétrica e de cerca de 60 a 130 kg de combustível para ser fabricada uma tonelada de cimento, segundo a ABCP – Associação Brasileira de cimento Portland. Além disso, essa produção é responsável por 7% das emissões mundiais de CO2, bem como de outros poluentes como Nitrogênio, Mercúrio, Chumbo, entre outros. Mesmo assim, é o material que as grandes empresas mais consideram e disseminam como importante nas construções civis, inclusive para os cursos de Graduação em Engenharia Civil.

Das técnicas apresentadas de construção com terra foram enfatizadas o superadobe, a alvenaria de adobe, a taipa de pilão, as técnicas mistas, as construções com pedra e madeira e como funcionam o saneamento e aproveitamento da água da chuva. Além disso, foi apresentada a influência das condições climáticas nas construções – por conta da iluminação, dos materiais que devem ser utilizados, de como aproveitar melhor as chuvas, dentre outros – e como isso deve ser levado em conta de forma minuciosa ao realizá-las.

Por fim, o curso de Divulgação Científica foi fundamental para atrelar a luta pelo cuidado e consideração com o meio ambiente nas construções e planejamentos de moradias à luta anticapitalista. Isso porque é preciso levar em conta que o objetivo das construções e planejamentos dos espaços, no modo de produção capitalista, não será com base na melhor utilização dos espaços e na preocupação com o meio, mas sim nas necessidades e objetivos que possui o mercado.  

20 visualizações