Introdução à Teoria Marxista da Dependência – a categoria da superexploração da força de trabalho

Atualizado: Ago 26

Curso realizado pela EFoP e UáE em 30 de abril de 2017

A Escola de Formação Política da Classe Trabalhadora – Vânia Bambirra (EFoP) juntamente com o UFSC à Esquerda (UàE) promoveu em 30 de abril de 2017 o curso: “Introdução à Teoria Marxista da Dependência: a superexploração da força de trabalho”. O curso ocorreu no Auditório do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI/CED/UFSC) das 9h às 16h, totalizando uma carga horária de 6h e foi coordenado por Allan Kenji Seki.


Como referência para a formação foi utilizado o livro "Dialética da Dependência", considerado a grande obra de Ruy Mauro Marini. O ensaio que originou o livro foi redigido em 1973 e é um dos trabalhos mais significativos da Teoria Marxista de Dependência (TMD). O curso pretendeu debater a interpretação marxista de Ruy Mauro Marini sobre a acumulação capitalista na periferia do mercado mundial.


Inicialmente foi retomada a trajetória de Ruy Mauro para compreender sua importância para a TMD, visto que ele localiza a teoria nas categorias marxistas e rompe com as teses que atribuíam à formação social brasileira características feudais. Embasado em uma compreensão dialética, o livro de Marini permite retomar categorias da teoria do valor e, a partir dessa retomada, pensar a categoria da superexploração.


O curso abordou como Marini atribui à acumulação de capital em escala mundial a formação da economia dependente, em função da taxa geral de lucro. Permitindo localizar os países da América Latina na integração do mercado mundial. É por meio da dinâmica de transferência de valor aos países de capitalismo central que se torna apreensível a forma peculiar de exploração do trabalho que a burguesia interna dos países dependentes opera.


Essa forma peculiar de exploração é denominada de superexploração. A superexploração configura-se como uma forma de compensar a transferência de valor, mesmo que para isso se comprometa a própria reprodução social na periferia, visto que um mercado interno não se constitui.


A Teoria Marxista da Dependência é instrumento indispensável para a compreensão da realidade dos países da periferia, visto que, aprofunda o entendimento sobre o processo global de valorização do Capital. Dessa maneira o estudo da TMD se faz imperativo para a compressão da realidade.