Os interesses das Frações do Capital nas Universidades Brasileiras

Atualizado: Ago 26

Curso realizado pela EFoP e UáE em 08 de setembro de 2017


No dia 08 de setembro de 2017, a Escola de Formação Política da Classe Trabalhadora - Vânia Bambirra (EFoP) realizou o curso “Os interesses das frações do capital no ensino superior brasileiro”, ministrado por Allan Kenji Seki.

Nesta edição o curso se debruçou sobre a Universidade brasileira e os interesses das frações do capital em controlar sua estrutura e seu caráter, ditando seus rumos, e colocando novas questões para o conjunto dos trabalhadores, estudantes e pesquisadores.


Dentre os assuntos debatidos no curso estão as ampliações no número de matrículas em universidades e cursos superiores privados, em relação às vagas públicas na educação superior, os programas de financiamento das mensalidades, como o FIES, a política de troca de vagas no ensino superior privado por isenção e renúncia fiscal, como o PROUNI, etc. Mais do que isso, no curso foi articulado a relação desses programas com o surgimento e a ampliação dos grandes monopólios educacionais, como a Kronton, Estácio, Ser Educacional e outros. E como esses grandes monopólios estão financeirizados e também atrelados a grandes capitais internacionais.


Toda essa reflexão e debate parte de uma preocupação urgente sobre a privatização da educação superior, sobre o acesso, mais do que ao ensino superior, ao conhecimento real por parte dos estudantes da classe trabalhadora, mas também de uma reflexão sobre a posição do Brasil na divisão internacional do trabalho, do subdesenvolvimento e da dependência.